Buscar
  • Voz Carmesim

Rapadura

Saber-se frágil é de uma potência incrível: não pela fragilidade em si, mas pela tomada de consciência.


Tough cookie


Sou poeta

loira ginger

feminista:

tough cookie

alguém me disse um dia.


A minha força é doce

por mais que isso te confunda.

Falo de política

amor

sexo

o céu cheio de estrelas

cu, bunda.


A minha força é doce

e também sabe ser bruta

alfazema e luta.

A minha força é coletiva

dentro do que me é particular

movimento espiralar.


Unimultiplicidade

é perceber-se grão de areia

como pedaço do mar.


Dica:

Sabe a "haste fina" da Maria Bethânia? Pois é sobre isso. Esse poema fala da flexibilidade que empodera: sobre um feminino tão potente, tão dono de si que se sabe efêmero, como a Vida é.

Uma das grandes fontes de sofrimento do ser humano é o fato de a gente ignorar a impermanência da Vida - o que faz com que estejamos em um pêndulo entre apego e aversão.

Essa identidade cristalizada, imposta, só nós faz mal - precisamos mudar do paradigma do 'ou' para uma realidade que nos permite ser "e". Doce e forte, resiliente e adaptável, masculino e feminino, humano e divino.


Lembre-se!

Somos todos um porque únicos. Somos todos um porque parte do Todo. Somos como a onda, que vai e volta. Como o coração que contrai e distende. Então: inspira e respira.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Resposta